• imagem
  • imagem
  • imagem
  • imagem
  • imagem
  • imagem
  • imagem
  • imagem
  • imagem
  • imagem
  • imagem
  • imagem
  • imagem
  • imagem
  • imagem
Com um caracter vincadamente contemporâneo e um
espírito construtivo que nos reporta para materiais
e técnicas construtivas tradicionais, o “MBH”,
apresenta-se como um hotel temático, uma proposta
diferenciadora que procura proporcionar experiências
únicas ao nível do conforto e bem-estar.
 
Implantado em plena marginal, de frente para o mar,
a unidade hoteleira de 4 estrelas é composta por 30
quartos (2 suites, 2 quartos spa, 9 quartos vista mar
superior, 8 quartos standard vista mar e 9 quartos
standard).
 
Ao nível dos serviços dispõe de: Bar (Bikbik),
Restaurante (Bico Real), Sala de Conferências, Spa
(Bikha Spa), com sala de massagens, sauna, banho
turco, Banho de contrastes, duche bitérmico, ginásio,
jacuzzi e piscina aquecida na cobertura.
 
Todo o projeto de design de interiores, desenvolvido
pela Ipotz Studio, nasce de uma forte inspiração em
elementos que compõem a identidade histórica e
cultural das “gentes” de Praia de Mira “Mira Terra de
Pescadores” com especial incidência na arte xávega
tradicional, e nos sistemas e métodos construtivos
presentes na arquitetura tradicional local como o
exemplo dos palheiros.
 
 
 
Sendo o “Homem” elemento central de toda a acção,
e compreendendo a forma como ao longo dos tempos
ele se relaciona com a realidade, perceciona-se
a complementaridade desse mesmo comportamento
pela forma como domina e é dominado, pela forma
como modifica e é modificado.
 
Neste enquadramento, toda a proposta vive da
exploração conceptual do “oximoro” (ambiente
terra/natureza e ambiente mar), como uma figura
de linguagem que procurar harmonizar dois conceitos
opostos numa só expressão, formando um 3º conceito.
 
No “ambiente terra”, vivendo da agricultura utiliza a
floresta para a exploração da matéria-prima para a
construção de palheiros, abrigo e refugio em terra.
Com a mesma madeira constrói barcos de pesca que
garantem a base de subsistência num ambiente mar.
 
É exatamente na exploração plástica e formal dos
elementos caracterizadores destas duas realidades
(o homem em ambiente terra/ o homem em ambiente
mar), nas suas dimensões físicas e psicológicas
que damos inicio á “viagem do maçarico”, por entre
ondas, tartans, redes, boias… Num constante espirito
de descoberta e na criação de uma realidade
humanizada, onde requinte/sofisticação e conforto
imperam.
 
 
 
 
imagem